BEM VINDO AO MANIA COLORIDA

19 de janeiro de 2009

A Terceira Xícara de Chá

No início do ano passado acompanhei um amigo ao aeroporto e enquanto esperávamos o horário de embarque, nos distraímos um pouco numa livraria. Então peguei alguns encartes "grátis" sobre livros e novas publicações. Sentamos para um café e então começamos a ler aqueles folhetos. Um em especial nos chamou a atenção, "A Terceira Xícara de Chá". Uma "palhinha" do que vem a ser o livro propriamente dito. O folheto apresenta trechos de alguns capítulos, a fim de chamar a atenção dos leitores. O livreto abre o capítulo 1 assim:

Fracasso

"Quando escurece, podemos ver as estrelas."
Provérbio Persa
Aliás, estes provérbios são de uma sabedoria incrível.
Li alguns trechos e depois guardei na bolsa onde ficou esquecido até hoje.
Em meio a caixas de mais uma de minhas mudanças... guarda aqui, encaixota ali, separa acolá... enfim um emanranhado de organização bagunçada, ou seria, bagunça organizada? Bem, como quiserem chamar. O fato é que reencontrei este livretinho e pus-me a lê-lo mais atentamente.
Conta a história de um alpinista que sofre um acidente na região do Afeganistão e Paquistão, então é socorrido no local por pessoas que o tratam e cuidam de sua recuperação. Com isso, passa a conhecer mais a região, o povo, os costumes, os conflitos, guerras e as necessidades locais.
Greg Mortenson promete construir uma escola para aquele povo sedento de conhecimento.
Os pormenores desta história interessante e rica em detalhes deixo por conta do livro.
Mas o fato é que hoje, Greg é diretor do Instituto da Ásia Central, ex-alpinista e militar da reserva, dedica-se alguns meses do ano à construção de escolas no Paquistão e no Afeganistão. Vive em Montana com a mulher e dois filhos. Cumpriu o que prometeu. Poderia ter ido embora e esquecido aquele povo. O que o moveu a tal atitude o livro conta. Estou super curiosa para ler e vou lê-lo. No entanto, aquela frase acima, lida novamente depois de se saber o teor da publicação ganha outro sentido.
Ainda:
A margem errada do rio
"Por que tentar adivinhar o futuro e enganar tua mente para vencer a perplexidade?
Anda despreocupado e deixa Alá com seus planos - Ele os fez sem consultar a ti."
Omar Khayyam, O Rubaiyat
O mundo não está de todo perdido. Ainda existem pessoas que se desprendem de si mesmas em benefício de outras.
A inutilidade da guerra, da ganância pelo poder e pior, da guerra religiosa... insistem em disseminar suas sementes pelo mundo.
Quer dizer, de que adianta tudo isso? E o que se leva disso no final de tudo?
Penso que este livro seja uma boa leitura para reflexão sobre outras realidades e sobretudo valorizar a nossa própria. Porque apesar de tudo, viver no Brasil ainda é um privilégio.

2 comentários:

Renato Couto disse...

Antes do (excelente)poeta Omar Khayyam, Mateus já disse:"Deixai para amanhã, o amanhã, pois o dia de hoje já guarda suas próprias aflições...", pois é, na realidade ninguém traz algo muito novo, antes mesmo de Mateus (o apóstolo), Sêneca, o filósofo grego, disse algo semelhante e assim vai,,,Mas valeu a dica, sempre vale a pena ler algo, especialmente "com um pouco de chá"...

Dagmar Amsberg disse...

É importante ressaltar que em todas as épocas e contextos o homem busca respostas para as suas feridas. Hoje, as palavras ditas por homens diferentes significam a mesma coisa... mas prefiro acreditar que sejam pontos de vista diferentes sobre o mesmo assunto... a existência humana.