BEM VINDO AO MANIA COLORIDA

25 de maio de 2013

PHOTOGRAPHIA

A dimensão do tempo pode ser instantânea. Guardada em frações de segundos, onde a vida acontece intensamente, sem que tenhamos de fato, a noção de todas as cores, luzes, movimentos e sentimentos que a constituíram. Há quem diga, que a fotografia, não é arte em toda a sua pureza. Mas que desenhista ou pintor seria capaz de captar o segundo, no instante de sua existência?
Gostei desta abordagem sobre a fotografia!

Um ótimo sábado a todos!
Dagmar




Toda fotografia é um portal aberto para outra dimensão: o passado. A câmara fotográfica é uma verdadeira máquina do tempo, transformando o que é naquilo que já não é mais, porque o que temos diante dos olhos é transmudado imediatamente em passado no momento do clique. Costumamos dizer que a fotografia congela o tempo, preservando um momento passageiro para toda a eternidade, e isso não deixa de ser verdade. Todavia, existe algo que descongela essa imagem: nosso olhar. Em francês, imagem e magia contêm as mesmas cinco letras: image e magie. Toda imagem é magia, e nosso olhar é a varinha de condão que descongela o instante aprisionado nas geleiras eternas do tempo fotográfico. Toda fotografia é uma espécie de espelho da Alice do País das Maravilhas, e cada pessoa que mergulha nesse espelho de papel sai numa dimensão diferente e vivencia experiências diversas, pois o lado de lá é como o albergue espanhol do ditado: cada um só encontra nele o que trouxe consigo. Além disso, o significado de uma imagem muda com o passar do tempo, até para o mesmo observador. Variam, também, os níveis de percepção de uma fotografia. Isso ocorre, na verdade, com todas as artes: um músico, por exemplo, é capaz de perceber dimensões sonoras inteiramente insuspeitas para os leigos. Da mesma forma, um fotógrafo profissional lê as imagens fotográficas de modo diferente daqueles que desconhecem a sintaxe da fotografia, a “escrita da luz”. Mas é difícil imaginar alguém que seja insensível à magia de uma foto. 

(Adaptado de Pedro Vasquez, em Por trás daquela foto. São Paulo: Companhia das Letras, 2010) 

19 de maio de 2013

TEMPO, TEMPO, TEMPO....


"Tempo, tempo mano velho, falta um tanto ainda eu sei
Pra você correr macio

Tempo, tempo mano velho, falta um tanto ainda eu sei
Pra você correr macio
Como zune um novo sedã

Tempo, tempo, tempo mano velho
Tempo, tempo, tempo mano velho
Vai, vai, vai, vai, vai, vai"
(SOBRE O TEMPO.  Pato Fu)




Olhar a todo tempo no relógio e programar a próxima tarefa. São tantas no dia, na semana... e quantos compromissos pela frente. Não existem horas suficientes. Dizemos que o dia poderia ter até "30 horas"! Chega um tempo que prioridade é tudo! Uma prioridade baseada, quem sabe na necessidade pessoal de satisfação. Quer ter um tempinho no final da tarde? Então comece o seu dia vigorosamente mais cedo. Quinze minutinhos mais cedo, fazem a diferença no dia! Pontualidade é essencial! Lembro-me muito bem de uma regrinha que mamãe sempre me lembrava: "nunca chegue no horário, chegue sempre pelo menos 10 minutos antes, pois chegar no horário, já seria um atraso." A espera pode significar uma eternidade ao que segue à risca a regrinha da pontualidade. Que bom se todos pensassem desta forma. Do mesmo modo que sair 5 minutos antes de um compromisso, não é cumprir ele totalmente. Exagero? Pode ser. Mas para isso existe o "tal tempo", para que justamente possamos distribuir nossos afazeres e lazeres, para que possamos medir um espaço temporal e aproveitar mais o que temos de melhor: A VIDA!

Um excelente domingo!
Dagmar




Gestão de Tempo – Como administrar melhor seu tempo
por Douglas Ferreira

O tempo pode ser o nosso maior inimigo, quando não se sabe manter um nível de organização das tarefas do dia, ou até mesmo aquelas que podem ser realizadas em um prazo maior. Vida pessoal e trabalho acabam virando um verdadeiro "vendaval" de atividades desordenadas  quando simplesmente não se tem o hábito de anotar alguns compromissos no que chamamos de "agenda". Uma boa agenda, muitas vezes salva o seu dia do caos. Pessoas, telefones, compromissos diversos, médico, reunião, compras, família, rotinas de trabalho... se não forem devidamente estruturadas em ordem de prioridades acabam ficando para depois e depois e, quem sabe amanhã dá para fazer, ou até mesmo, depois do horário não tem ninguém e fica mais fácil terminar. Nada disso! O dia tem exatamente a quantidade de horas necessárias para tudo o que cabe nele. Isso com tempo para descansar e tudo! Basta priorizar.
Acordar um pouco mais cedo, de repente faz a diferença. Dá tempo de deixar algumas coisas organizadas em casa, evita um trânsito mais intenso a caminho do trabalho e permite um início de dia mais calmo e relaxado, sem a correria do "atrasadinho". Mesa do escritório sempre arrumada ao final do dia, com a "papelada" disposta na ordem de verificação facilita e muito, o início do dia seguinte, pois não é necessário revisar tudo para dar início às atividades. Bloco de anotações para recados rápidos, que serão descartados logo após sua realização. Uma agenda diária, com as situações mais urgentes auxilia na eficiência da execução das tarefas. Nunca deixar nada para amanhã, quando se pode realizar hoje. mesmo situações mais difíceis e conflitosas de resolver. Aliás, estas devem estar no topo da lista, desse modo aliviam o restante do dia. Quando eliminamos as tarefas mais difíceis primeiro, o tempo para outras atividades fica maior. Correio eletrônico é uma facilidade e tanto, mas é importante ter um e-mail organizacional e pronto. Ele é revisado logo pela manhã, no início das atividades. Quanto mais e-mails puderem ser respondidos, melhor. Eliminar o hábito de verificar a caixa de 5 em 5 minutos traz um ganho significativo no tempo do dia. Enfim, pequenas dicas, que são muito úteis para auxiliar a administrar seu tempo no trabalho trazendo ganho na vida pessoal. Douglas Ferreira, neste artigo, mostra o caminho das pedras para quem se encontra em meio às turbulências cotidianas e não consegue gerir suas tarefas dentro das 24horas que o dia tem. Confira! Manter uma rotina pode ser útil.